domingo, 13 de junho de 2010

Poemeto Crepuscular


E mais uma voz se cala
E tudo se prova perecível
Indizível pensar na falta
Mesmo sabendo que viver é possível.

3 comentários:

Flávio Morgado disse...

Poucas palavras, porém bem gritantes.

F.M.

carol sakurá disse...

Lindo...lindo!
Precisa ser musicado este poema...rs.
Bjs!

Amanda Bruna disse...

Palavras tão simples e ao mesmo tempo tão veementes.
Belo post, gostei muito!
abraços!