segunda-feira, 31 de maio de 2010

CTI

Depois de 4 tentativas consegui postar esse poema. Na primeira a internet caiu e acabou um esboço postado no blog. Agradeço aos primeiros comentários que foram mais rápidos que o escritor. 


(Clique no poema para ampliar)



 

8 comentários:

Batom e poesias disse...

Deu dorzinha no pescoço...

:)

Bjca

Flávio Morgado disse...

Gostei da idéia, achei inovadora e reflexo de suas últimas leituras. No entanto, acho que o poema poderia ter sido mais metafórico, talvez, certas coisas ficam ainda mais belas se exploradas em imagens e numa seleção mais suada das palavras. Não sei se era esta a proposta, talvez fosse justamente o contrário, mas fica aí minha preferência. Uma idéia maravilhosa pode esperar um poema mais trabalhado, sei como dói guardar uma idéia, mas não se trata de esquecê-la, trata-se de maturá-la.
Apreciei mesmo a forma, afinal, não se prende ao conforto do leitor.
Abraço.

F.M.

carol sakurá disse...

Rodrigo!
Bacana demais da conta.Rementeu-me à poesia marginal,de Paulo Lewisnky.
Parabéns!
Beijos!

Rodrigo Braga disse...

Nossa... como fico feliz de pessoas tão especiais visitarem meu blog. Fico honrado com o seu elogio Carol!

Bjo a todos!

Ariana disse...

Rooo, muitoo boom seu poema!!! Só poderia vir de você mesmo essas palavras, diz muito sob!!
Que você sempre esteja inspiradíssimo, para nos encantar com suas poesias!!
Beijos meu querido. :)

Rodrigo G5 disse...

Você conseguiu botar no papel o que todos nós que trabalhamos com algum tipo de arte sentimos. Parabéns!

Thiago Nogueira disse...

É a síntese da frase: "quem se define se limita".

Gostei muito da simplicidade quase marginal do poema. Às vezes, menos é mais e você soube captar muito bem isso.

Claudio Renato disse...

Legal, bacana, mas dá torcicolo. Respeita a minha idade, malandro! E a música do Titãs é de foder!

Abraço!