sexta-feira, 1 de outubro de 2010

As bocas





A boca oca nunca encanta
A boca boa tem luz branca
                                          E canta
Na propaganda da Brahma
                                         E da Fanta

A boca oca canta para o santo
A boca boa reza para a santa
                                            E canta na propaganda
Para a boca oca comprar
                                    A Fanta
                                                E mamar a Brahma

A boca oca não tem nada na barriga
A boca boa é a boca rica
A boca oca marca toca na vida
A boca boa tá na bocadaboa, querida

A boca boa é a bonita
Faz dieta e sobra comida
A boca oca é a coitada
Para que dente se não come nada?

Mas se a boca oca passa a ser a boca boa
A boca boa mais oca seria
O contrário também é arbitrário
                                                E nada resolveria

A lógica com ótica de dominação
É Passível de cirúrgica intervenção
Para resolver a odontológica equação
Só mesmo dividindo a dentição

15 comentários:

nathchochang@poemas disse...

Muito bom!! Escreveu quando estava no baixo gávea ontem? hahaha
Gostei gostei!!! =)

Zélia Guardiano disse...

Fico impressionada com sua versatilidade, amigo Rodrigo!
Para ilustrar o que digo, atenho-me ao tema de hoje: muito interessante!
Gostei demais...
Grande abraço, querido!

Marcio Nicolau disse...

Rodrigo: quem tem boca, vai a Roma e você, prepare-se, meu amigo, pois se não conhece ainda, conhecerá a capital da Itália.

Genial o poema!!!

sidnei olivio disse...

Gostei muito, Rodrigo. Abraço.

Rodrigo Braga disse...

Natália! Doce visita!

Rodrigo Braga disse...

Zélia, sua visita ilumina esse pequeno espaço.

Rodrigo Braga disse...

Quem sabe nos encontramos por lá, Marcio!

Rodrigo Braga disse...

Sidnei volte sempre e fico feliz por ter gostado!

carol sakurá disse...

Com versos,vc cria bocas imaginárias...rs!
Adorei!
Beijos!

Batom e poesias disse...

Mas que menino bocudo!
Andas loucamente criativo.

Eu gosto tanto quando visitas minha casinha...
Beijos de boca que não é oca...rss (de batom)

Rossana

Delícia o samba do Bezerra!

Machado de Carlos disse...

O bom de boca! Sensacional o poema. Uma mistura de tudo. Até o prezado amigo Marketing. Sensacional o seu poema!
Um Grande abraço, amigo!

Uni ver sos disse...

Bravo, poeta!

Faz tempo não via algo que me agradasse tanto! Um achado seu blog!

Sigo-te e voltarei..

Rodrigo Braga disse...

Rossana! Sempre sua visita ilumina esse espaço!

Rodrigo Braga disse...

Pois é Machado, um pouco de tudo até o marketing do consumo!

Valeu pela visita!

Rodrigo Braga disse...

Uni ver sos! Muito obrigado pelas palavras e pela visita. Volte sempre, pois o espaço é nosso.