terça-feira, 6 de outubro de 2009

Adendo




Poesia escrita em homenagem ao majestoso poema Autopsicografia de Fernando Pessoa. Trata-se de uma singela homenagem de um entre muitos que admiram esse gênio da literatura Portuguesa.



Autopsicografia
(Fernando Pessoa)

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que leem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

 
Adendo
(Rodrigo Braga)
O Comboio de cordas é tão intenso
Por dizer o que calo, por dizer o que penso
Reconheço-me um fingidor e portanto
Vou do finjo que finjo ao fingir de Fernando

 
E o que vale mais a pena de se ver?
A dor que se escreve ou a dor que se crê?
É tão mais cômodo ao poeta
Deixar a dor para quem for ler

 
Não importa o que sou ou o que pareço ser
O que queremos é tocar, é entreter
Pois o escrito para ser bonito
Tem que ser sofrido mesmo sem doer

5 comentários:

Flávio Morgado disse...

Sempre suspeito a falar, hoje não venho só elogios, venho sincero. Elogios baratos são um crime. A crítica a esse poema já fiz pessoalmete: pra mim, é o melhor poema de Rodrigo Braga. Um poema maduro, complexo e simples nas palavras. Existem certas obras que nos vem de forma inexplicável, acreito que essa foi um delas. Não é só inspiração, é a confluência de inspiração, maturidade, garra poética e confiança. É vida, é viver! Assim percebemos a diferença entre o que é confessional e o que é existencial, "Adendo" reflete o poeta, não o choroso de quarto!

Rodrigo Braga disse...

Cara... nem sei o que dizer...desculpe, mas talvez um sincero e feliz obrigado é a única coisa que me venm a cabeça agora.

Ariana disse...

Realmente, depois de um comentario desses.... mas faço de minhas palavras a do Flavinho.. já que ele tem um olhar mais clinico que o meu! mas digo que gostei!! como todos que você escreve... você quem foi que me abriu os olhos pra esse outro lado, que até então, estou adorando conhecer!
beeijos meu querido!

Claudio Renato disse...

E quem melhor para nos inspirar do que Fernando Pessoa, o maior deles, o maior de todos os tempos?

Rodrigo, se não leu, peço que leia "O Mar Portuguez".

É a poesia!

carol sakurá disse...

Olá Rodrigo
Parabéns pelo blog1
De fato,o smba é a identidade cultural brasileira em várias redondihas de realismo.
Abs!

Carol Sakurá
http://lepoeteenfleur.blogspot.com/