sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Eu sei que sou cheio de defeitos


A coisa mais difícil é homenagear pessoas especiais. Pelo menos para mim, quanto mais se ama, mais eu me cobro em relação ao que escrevo. Talvez por isso nunca fiz um poema dedicado só para minha filha. Esse escrito dedico a minha Carol, não uma Carol qualquer, mas a mulher que considero ser um pedaço de mim. Não sei se é bem um poema ou uma letra de música. Na verdade sinto como algo entre os dois, algo único, como meu sentimento por ela. Termino agradecendo aos céus por ter esse amor em meu peito, pois ele que me move.


Eu sei que sou cheio de defeitos
Eu talvez não seja do jeito que você sonhou
Nos caminhos incertos da vida
Seguimos a trilha que o Mestre mandou
E nessa estrada, por vezes ensolarada,
E outrora escura onde a lua minguou
Fui escolhido para viver contigo
Sou aquele por quem você se apaixonou

Já você...é do jeitinho que eu sempre sonhei
Percebi logo e me apaixonei
Viver para sempre eterno amor
Já procurei palavras para te descrever
Imagens que me remetam a você
Inutilmente, pois desvaneceu, se dissipou
Sempre disse para ser mais você
E então numa noite contemplando seu ser
Carinhosamente te chamei...minha flor

5 comentários:

Flávio Morgado disse...

Uma homenagem merecida!
"O que pensa a mulher do poeta? O que passa entre os cahos de mulher do poeta? São elas as musas que o poema flerta? São sempre essa imensidão com a porta aberta...não há quem ame mais que a mulher do poeta!". Flávio Morgado.

carol sakurá disse...

OLá!
Vim retribui a visita lá no blog!
Encantei-me neste espaço bamba!
Quanta sensibilidade pra falar de Carol...rsrsr...continue ladrinlhando os caminhos da felicidade!

Abs!

Carol Sakurá

Higor disse...

Fala aí rodrigo. Po cara.. adorei esse seu blog hein, continue assim ! Abraços !

Claudio Renato disse...

Homenagem de apaixonado, hein, camarada!?

Daniele Lima disse...

Todas as frases ditas com o coração sempre se transformam em belos poemas e muitas vezes tiram lindos sorrisos do rosto de quem lê!