quinta-feira, 12 de maio de 2011

Senão

Senão

Você afirma que aquele verde é único
Eu digo que é o azul com amarelo
Vejo o quão brasileira é aquela canção
Diz que parece Elvis Costello
E grita que o melhor amor é o maior do mundo
Eu digo que esse amor é um inferno
Chamo-te para ao mar, dar um mergulho?
Sugere a areia, o sol de inverno.
Reclamas que o cachorro late muito
Admiro o ladrar que é tão singelo
Indagar a modernidade é meu discurso
E apontas a importância do progresso
Você contradiz a todos e a tudo
Eu não enxergo na unidade nada belo

No entanto quando o pranto não é tanto
Por vezes no amor o quanto mede-se nos entretantos
E amor tem que ter senão
A legislação é feita pelo porém
Amor, desordem e progresso com paixão
É um Comte para nós e mais ninguém.

3 comentários:

Lara Amaral disse...

Maravilha! Vc sempre musical, criativo. Muito bom de se ler!

Beijo.

Rodrigo Braga disse...

Ah que legal Lara! Fico feliz, muito feliz.

Obrigado!

Zélia Guardiano disse...

Show, meu querido Rodrigo!
Fico sempre encantada com as suas composições.
Sempre!
Enorme abraço, meu querido!