segunda-feira, 4 de abril de 2011

O velho


O velho
Ontem como um raio de sol
Eu vi um idoso sorrindo
No fim dos meus 33 anos
Eu vi um idoso sorrindo
Pensei na vida quando
Eu vi um idoso sorrindo
Não vi o velho com uma flor
Eu vi um idoso sorrindo

E ele me fez pensar
Que o tempo está partindo
Partir é o ofício do tempo
E o idoso reluzia sorrindo
E alguns se entristecem com o tempo
Que o tempo está partindo
Amigos se enforcando com gravatas
E o idoso reluzia sorrindo

Pessoas vendem seu coração
Pessoas jantam em frente à televisão
Pessoas fazem do casamento uma prisão
Pessoas vivem para arranjar seu milhão
Pessoas aplaudem o seu vilão
Pessoas discutem para ter razão
E ontem como um raio de sol
Eu vi um idoso sorrindo

Ele deixava
O tempo inventivo
Cheio de graça
Sabia que mais uma vez
Ele estava partindo.

2 comentários:

Lara Amaral disse...

Bonito e tocante poema, Rodrigo!

Beijo.

Pedro Wisik disse...

Lição de vida!